Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


Action disabled: source
espec:internet_daemon

Inetd - Internet Daemon

O número de serviços oferecido por um servidor pode ser grande, mas muitos serviços são solicitados de forma esporádica. Se todos os daemons responsáveis por serviços fossem lançados automaticamente na inicialização (boot), eles ficariam usando memória e CPU desnecessariamente. Para evitar esse problema, muitos serviços ficam a cargo de um processo especial chamado Internet Daemon, ou inetd.

Configuração

Tradicionalmente, o arquivo de configuração /etc/inetd.conf indica quais os serviços sob a responsabilidade do Internet Daemon. Esse daemon “ouve” as portas dos serviços que gerencia e, no caso de uma chamada, lança o processo servidor necessário para atendê-la. O arquivo de configuração básico do Internet Daemon tem a seguinte forma:

# service type    proto           user    program to launch

ftp       stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/in.ftpd -l -a
telnet    stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/in.telnetd
gopher    stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/gn
shell     stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/in.rshd
login     stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/in.rlogind
talk      dgram   udp     wait    root    /usr/sbin/in.talkd

TCP-Wrappers

Um grande problema em relação aos serviços providos à Internet é que qualquer host externo pode acessar um serviço, se este estiver disponível, e o controle de acesso ao serviço fica sob a responsabilidade do próprio daemon que responde por ele. Isso põe em risco a segurança do sistema.

Para resolver esse problema, o Internet Daemon geralmente é usado em conjunto com o sistema chamado TCP-Wrappers, permitindo a definição de políticas de acesso de forma integrada para todos os serviços oferecidos através do inetd. Quando o inetd está sendo usado com TCP-Wrappers, seu arquivo de configuração assume uma forma um pouco diferente:

#service type    proto           user    program to launch

ftp      stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/tcpd in.ftpd -l -a
telnet   stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/tcpd in.telnetd
gopher   stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/tcpd gn
shell    stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/tcpd in.rshd
login    stream  tcp     nowait  root    /usr/sbin/tcpd in.rlogind
talk     dgram   udp     wait    root    /usr/sbin/tcpd in.talkd

Como podemos ver, todas as chamadas são interceptadas pelo programa tcpd. Este programa verifica as permissões de acesso descritas nos arquivos /etc/hosts.allow e /etc/hosts.deny (localizados no mesmo computador que está executando o daemon inetd), para autorizar ou recusar o acesso a cada serviço. A estrutura de um arquivo /etc/hosts.allow típico é a seguinte:

# daemons    hosts

in.fingerd : localhost
in.telnetd : ALL
in.ftpd    : *.pucpr.br

O procedimento de consulta desses arquivos para cada pedido de conexão é o seguinte:

se o pedido de conexão constar em /etc/hosts.allow então
  autorizar o acesso
senão
  se o pedido de conexão constar em /etc/hosts.deny então
    negar o acesso
  senão
    autorizar o acesso
  fim se
fim se

Esse procedimento de avaliação de regras permite definir dois grandes tipos de políticas:

  • Mostly Open:
    • hosts.allow: fica vazio.
    • hosts.deny : contém regras de bloqueio específicas.
  • Mostly Closed:
    • hosts.deny : bloqueia todos os serviços (regra ALL:ALL).
    • hosts.allow: contém regras de autorização específicas.

As possibilidades de regras de acesso oferecidas pelo sistema TCP-Wrappers são muitas. Para maiores detalhes consulte a página de manual.

XInetd - Extended Internet Daemon

Versões mais recentes de UNIX substituem o inetd pelo xinetd (Extended Internet Daemon), que dispensa o uso de TCP-Wrappers e traz diversas vantagens:

  • Limitação de conexões:
    • taxa de conexões recebidas por intervalo de tempo
    • número de conexões por host
    • número de conexões por serviço
  • Controle de acesso mais sofisticado:
    • Feito pelo próprio daemon, dispensando o TCPWrappers
    • Por host, IP, domínio ou sub-rede
    • por horário
  • Controle de logs:
    • limitação do tamanho de cada arquivo de log
    • Nível de logging de cada serviço pode ser configurado de forma independente
  • Desvio de conexões
    • Um fluxo TCP pode ser redirecionado para outro host e/ou porta de forma transparente.
  • Suporte a IPv6

O daemon xinetd usa os arquivos de configuração /etc/xinetd.conf (configuração geral) e /etc/xinetd.d/* (um arquivo para cada serviço). As entradas nos arquivos de configuração possuem o seguinte formato genérico:

service <service_name>
{
   <attribute> < = | += | -= > <value> <value> ...
   ...
}

Um exemplo de entrada para o serviço VNC (conexão remota gráfica) com resolução 800×600 (arquivo /etc/xinetd.d/vnc-800):

service vnc
{
   disable = no
   socket_type = stream
   wait = no
   user = nobody
   server = /usr/bin/Xvnc
   server_args = -inetd -query localhost -once -geometry 800x600 -depth 16
   nice = 5
}

Os principais atributos gerais associados a cada serviço são (uma lista completa está disponível na página de manual):

parâmetro exemplo Significado
disable no habilita o serviço
yes desabilita o serviço
socket_type stream socket TCP
dgram socket UDP
raw socket IP (baixo nível)
wait yes espera conclusão da conexão para aceitar novas conexões
no não espera conclusão da conexão para aceitar novas conexões
port 5900 porta a usar (caso o nome do serviço não esteja definido em /etc/services ou uma porta não-default deva ser usada)
user nobody usuário que executa o serviço
group somegroup grupo que executa o serviço
server /usr/bin/Xvnc processo que executa o serviço
server_args -inetd -query localhost -once -geometry 800×600 -depth 16 parâmetros do processo servidor
log_type SYSLOG daemon info
FILE /var/log/vnc onde armazenar os logs do serviço
log_on_success PID HOST DURATION informação a logar caso a conexão seja aceita
log_on_failure HOST informação a logar caso a conexão seja recusada
redirect server-b.domain.com 5901 redireciona os pacotes enviados a este serviço para o host e porta indicados, de forma transparente para o cliente

Atributos específicos de controle de acesso:

parâmetro exemplo Significado
only_from 20.0.0.17
200.10.0.0
20.10/16
server1.domain.com
.domain.com
indica hosts dos quais conexões são aceitas
no_access idem indica hosts dos quais conexões são negadas

Atributos específicos de limitação de uso de recursos (importantes para suportar ataques de negação de serviço):

parâmetro exemplo Significado
instances 10 número máximo de instâncias simultâneas do serviço
per_source 3 número máximo de instâncias por host de origem
nice 15 prioridade do processo do serviço
access_times 02:00-06:00 18:00-22:00 horários em que o serviço está disponível
cps 10 30 número máximo de conexões por segundo (10) e período de suspensão do serviço (30 segundos) caso o limite seja alcançado
max_load 2 carga máxima do sistema operacional para aceitar novas conexões
rlimit_as 5M limite de memória a ser usado pelo processo servidor
rlimit_cpu 30 limite de tempo de CPU do processo servidor, em segundos
espec/internet_daemon.txt · Última modificação: 2011/09/06 15:27 por maziero